NARRATIVAS DE TERROR

As professoras Me. Irka Barrios e Dra. Andrezza Postay comando a superoficina NARRATIVAS DE TERROR.

Ao longo de 8 aulas, elas procuram desenvolver com os alunos um entendimento teórico sobre a criação literária e elementos narrativos de horror e terror. Também têm como objetivo aprimorar a escrita dentro do gênero com exercícios práticos, e discutir as produções dentro do grupo com base nos aspectos teóricos apresentados pelas professoras.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

Aula 1 – Criando a atmosfera

Vamos trabalhar os pontos que devem ser explorados na construção da atmosfera de uma história de terror, abordando desde o tom até as emoções que esperamos extrair do leitor. Veremos como criar um clima de medo, desconforto, surpresa ou estranhamento. Também veremos como definir qual o narrador adequado para a cada história. O sobrenatural deve ser uma experiência pessoal da personagem ou é uma experiência coletiva dentro da história? Ao final da aula, vamos propor um exercício.

Bibliografia: “A Vegetariana”, de Hang Kang; “Voz ao telefone”, de Silvina Ocampo (conto com narrador infantil)

Aula 2 – Master Class 1

Discutiremos com a turma os exercícios produzidos a partir da aula anterior de um ponto de vista crítico e teórico.

Aula 3 – O espaço

O espaço em que a narrativa se passa é um fator importante, inclusive tendo impacto na psicologia e na construção das personagens. Muitas histórias de terror se passam em cenários noturnos ou sombrios, embora outras, mais atuais, explorem cenários inofensivos vistos pelos olhos de uma personagem perturbada. Vamos explorar alguns exemplos que seguem essa regra e outros que vão na contramão dela, buscando entender a importância dos cenários (ou da ausência deles) como elementos narrativos. Será dado um exercício para correção no próximo encontro.

Bibliografia: “A volta do parafuso”, de Henry James; o filme “Midsommar” (2019), “Caixa de pássaros”, Josh Malerman.

Aula 4 – Master Class 2

Discutiremos com a turma os exercícios produzidos a partir da aula anterior de um ponto de vista crítico e teórico.

Aula 5 – O personagem

Muitas boas histórias de terror partem de um personagem, a exemplo de Drácula e Frankenstein. Mesmo quando a narrativa não se baseia em uma anomalia do personagem central, ele é responsável pela condução da narrativa. Nesta aula, buscaremos trabalhar técnicas de construção de personagem aliadas a exemplos do terror clássico e contemporâneo. Ao final, passaremos um exercício para discussão no próximo encontro.

Bibliografia: “Drácula”, de Brahm Stoker (capítulo em que ocorre o diálogo inicial entre Jonathan Harker e o Conde Drácula). Personagem Sandy e personagem Willard de “The devil all the time”.

Aula 6 – Master Class 3

Discutiremos com a turma os exercícios produzidos a partir da aula anterior de um ponto de vista crítico e teórico.

Aula 7 – O desfecho

As possibilidades de desfecho para qualquer narrativa são inúmeras. Finais catárticos são muito comuns no gênero horror, porque o leitor se sente recompensado pelo tempo e energia empreendidos. Existem, entretanto, outras opções de finais, como a aberto, ou o anticlimático que, se bem trabalhado, pode gerar reflexões interessantes. Nesta aula discutiremos a tensão na narrativa e os momentos de clímax que conduzem ao desfecho final. Discutiremos com a turma alguns exemplos de finais marcantes dentro do gênero, buscando entender o que faz deles bons finais. Após, passaremos um exercício para discutir no último encontro.

Bibliografia: “Matar cachorros”, conto de Samantha Scweblin; “A casa da fonte”, conto de Liudmila Petruchévskaia; “Carrie”, Stephen King; “As coisas que perdemos no fogo”, Mariana Enriquez.

Aula 8 – Master Class 4

Discutiremos com a turma os exercícios produzidos a partir da aula anterior de um ponto de vista crítico e teórico.

METODOLOGIA
Aulas semanais, na modalidade online, com momentos de estudo da teoria e outros de prática, em que buscaremos explorar o tema de forma global.

Recomendamos a leitura da bibliografia sugerida.

PROFESSORAS

 IRKA BARRIOS é contista e novelista, mestre em Escrita Criativa (PUCRS). Premiada no Concurso Brasil em Prosa (2015) com o conto O coelho branco, participa de diversas antologias de contos. Atua na organização do coletivo Mulherio das Letras – RS. Em 2019 lançou Lauren (Ed. Caos & Letras), romance que aborda a vida de uma adolescente em fase de descoberta da sexualidade num contexto de fanatismo religioso, assédio e bullying.

ANDREZZA POSTAY é psicóloga e doutoranda em Escrita Criativa. Ministra oficinas de escrita, trabalha com consultoria/leitura crítica e faz parte da comissão editorial da revista Travessa em Três Tempos.